É muito comum que toda pessoa que quer aprender um software gráfico para criar layouts diversos para impressão, queira começar pelos programas de criação de imagens vetoriais. Daí os softwares mais conhecidos e utilizados no mercado, Corel Draw e Adobe Illustrator, são sempre os primeiros da lista.

Mas, para os iniciantes, sempre surge a seguinte questão: qual devo escolher?

Em primeiro lugar, é necessário desfazer uma colocação muito comum por parte de vários profissionais, principalmente os de publicidade, que o Corel Draw não é um programa “profissional” ou não serve para criação e utilização em Desktop Publish devido a uma suposta má qualidade.

Obviamente, aqui já podemos responder de pronto, parte desse questionamento. Em agências de publicidade, os computadores a serem utilizados de maneira geral, serão computadores MAC e por isso, aqueles que pretendem trabalhar como diretores e assistentes de arte em agências de publicidade, mesmo que quisessem, não poderiam utilizar o Corel Draw, pois o programa não é mais produzido para a plataforma do MAC OS (Desde a versão X11).

Dá para fazer “gambiarras”, mas isso não tem o menor sentido. Portanto, se esse for o seu caso, corre para aprender os aplicativos da Adobe e, obviamente, o Illustrator.

Também é fato que, se eu pudesse afirmar em termos de qualidade de resultado final (em renderização de efeitos, suavização de gradiente, conversão de cores e etc), eu diria que o Illustrator leva sim uma vantagem sobre o Corel. Mas, isso é suficiente para tomar a decisão de aprender inicialmente esse software?

Na minha humilde opinião, todos os profissionais que lidarão com a criação para a área gráfica (ou mesmo web), deveriam aprender bem um dos dois e ao menos ter noções no outro.

Vamos então aos pontos fortes de cada um. O Illustrator, por ser um programa da Adobe, empresa que criou a linguagem Post Script, que praticamente é a referência principal no mercado de impressão, tem sim um resultado mais confiável entre o que se vê na tela e o que se obtém na impressão. O software possui muitos recursos e cada vez mais inovadores para a criação e o desenho (inclusive diretamente na tela, com as novas tecnologias de monitores, que são como mesas digitalizadoras). Possui também um ambiente facilitado para o uso de perfis de impressão. Porém, se o Illustrator possui alta qualidade para o resultado final da sua criação, do ponto de vista de interface mais intuitiva e facilitada para o momento da impressão, ele peca bastante.

É aí que entra o Corel Draw. O software tem ferramentas de desenho bastante fáceis, com objetos que podem ser controlados e alterados praticamente o tempo todo, mesmo após já terem sido criados e implementados no layout. Além disso, por ser um software que já trabalha há muito mais tempo que o Illustrator com múltiplas páginas, ele possui muitas ferramentas que facilitam o seu “momento de imprimir”, como o “layout de imposição”. Por exemplo, se quiser imprimir um cartão de visita basta mandar que o Corel o repita várias vezes na página. No Illustrator, você mesmo deverá duplicar e distribuir o cartão pelo “papel”. Assim, ele se torna o “queridinho” das gráficas rápidas, gráficas de médio porte e pessoas que desejam trabalhar com sublimação.

Outro ponto importante para o Corel, é que ele consegue importar uma quantidade maior de arquivos gerados em outros programas, inclusive os gerados em programas da Adobe. Isso facilita ao pequeno empreendedor no atendimento ao seu cliente.

Já no Illustrator, para abrir um arquivo CDR (gerado e salvo no Corel Draw), você precisará que esse arquivo tenha sido salvo em Corel Draw 10 (versão muito antiga) e com baixa garantia de compatibilidade.

Em compensação, o controle para gerar arquivos para WEB e outras plataformas, interface mais completa para ajustes de texto e tipografia, efeitos como os do Photoshop, isso você só encontrará no Illustrator.

Portanto, fica mais fácil agora traçar uma “resposta” para a questão levantada: Se você vai trabalhar com criação, arte-finalização profissional numa agência ou bureau de criação, onde lá não se imprime nada, apenas se cria e envia para as gráficas darem prosseguimento à produção, o software indicado é o Adobe Illustrator. Por questões Técnicas (ambiente que usam mais o MAC), e profissionais, pois, você provavelmente precisará trabalhar intercalando sua criação com o uso de outros softwares como o Photoshop, que também é da Adobe.

Mas, se o seu objetivo é trabalhar num ambiente onde você irá preparar os arquivos para impressão, para rodar na máquina – como se diz – tem uma oportunidade de emprego numa gráfica rápida ou de médio porte, onde provavelmente não irá ter que criar na maior parte do tempo, ou mesmo se precisa criar, mas, fazer isso para tocar o seu negócio de sublimação fazendo canecas, camisetas e, sobretudo, não tem experiência e nunca pegou num software gráfico na vida, sua indicação é o Corel Draw, sem sombra de dúvida.

O que importa é ter em mente que os dois programas têm ferramentas que atendem muito bem para a maior parte da demanda que o mercado exige. Utilizam da mesma linguagem de cálculo matemática (Curvas de Bézier) e, caberá apenas a você, fazer a escolha mais inteligente para cada situação, como as apresentadas acima.

Boa Sorte e conte com a gente.

Perfil Profissional

Daniel Rabelo é Designer Gráfico formado pela Universidade do Estado da Bahia. Atuou como diretor de arte em Agências de Publicidade e desenvolve estudos sobre Marketing aplicado ao Design Gráfico.

Na área educacional, Implementou o curso de Design Gráfico com formação em Nível Técnico na ONG Fábrica Cultural. Professor dos cursos de Design Gráfico da Real e Dados, também atua como professor em Instituições como o SENAI-CIMATEC para os cursos da área gráfica e de computação gráfica e presta consultorias para empresas em comunicação visual integrada e corporativa.

 

Compartilhe
WhatsApp chat